O CÉU É O MEU TETO,A TERRA É MINHA PÁTRIA,A LIBERDADE É A MINHA RELIGIÃO!

sábado, 24 de novembro de 2012

DIFERENTES VISÕES DE UM MESMO PROBLEMA....




TELA DE JAN FREDERIK PIETER PORTIELJE


Jan van Beers (Belgian artist, 1852 - 1927)


ESTE É MEU CORAÇÃO CIGANO! TE AMO MEU POVO!ME VOLILTO!


DIFERENTES VISÕES DE UM MESMO PROBLEMA.




Muitos falam em assimilação, outros em integração; outros em coexistência. Assimilar é apropriar-se de idéias, é procurar igualar, é forçar uma semelhança, é buscar uma fusão. Integrar significa, na maioria das vezes, inserir uma cultura dentro de outra não tão violentamente como a anterior, mas sem conhecimento ou  desejo daquela cultura que vai ser integrada à outra que é majoritária na sociedade. Mais ou menos como foi feito no Brasil pelos jesuítas em relação aos indígenas.  Como foi feito pelos colonizadores europeus na África, nas Américas e no Oriente. Coexistir é viver sem aproximação, sem verdadeiro conhecimento, apenas usando a tolerância necessária  , de maneira fria e  indiferente  ao que acontece com o outro .Será que nos serve?
Fazer parte de uma sociedade, de uma comunidade, de um país é viver plenamente os direitos e deveres próprios a cada cidadão. Isso só é possível quando existe justiça social. Diante da justiça todos somos iguais. Quando existe  justiça existe igualdade de direitos,sem que seja preciso reivindicá-los.Quando existe justiça a caridade não se faz necessária e a força perde sua razão.
Vivemos, entretanto numa sociedade injusta, onde só tem direitos quem pode mais; só recebe aquele que dá algo em troca; só obtêm vantagens aqueles que possuem dinheiro, ”status” e poder.
As pessoas também esquecem que a todo direito corresponde um dever para com a sociedade e para com os outros com quem convivemos.                                                                                         O que os ciganos precisam e desejam é conviver pacificamente. É serem respeitados e aceitos como são. Queremos ser cidadãos da terra onde nascemos e  onde vivemos,sem que precisemos reivindicar nossos direitos e deveres. Conviver é tolerar, é respeitar, é compreender o outro, é aceitá-lo como é. Ninguém é uma ilha, não se pode viver separado. Ninguém é melhor nem pior que o outro, porque somos todos humanos. E, como humanos somos todos iguais, mas ao mesmo tempo diferentes.Não existe cópia de gente.Cada um é único em sua individualidade, e é isto que faz a Beleza.A harmonia é resultado das diferenças.
Todas as raças, todas as cores de pele, todas as infinitas peculiaridades e idiossincrasias (reação individual própria a cada pessoa; maneira pessoal de ver o mundo) formam um tecido variado e harmônico povoando  todas as latitudes e paisagens da Terra.                                                                                                      Os mesmos sentimentos, as mesmas emoções formam o pano de fundo dos dramas que encenamos no palco terrestre, sejamos brancos, negros, vermelhos ou amarelos...
Portanto, a palavra correta a ser usada para modificar a injusta, triste e invisível situação da etnia Rhom entre os demais povos  é e,será sempre: justiça , convivência real e verdadeiro conhecimento do que somos.Talvez,estas atitudes nos aproximem do amor ao próximo algum dia e, torne irmãos  todos os  povos da Terra.


 CEZARINA MACEDO.

Francis-H.Eastwood-princess-dreamy-eyes
TELA DE JAN FREDERIK PIETER PORTIELJE


TELA DE Jose Miguel Roman Frances 

3 comentários:

Martha Marquez disse...

Minha doce amiga Cezarina,
Ainda bem que voltou, estava morta de saudades! Passo aqui todos os dias e, hoje, volto a sorrir.
Adorei seu texto e seu desabafo!
Concordo com vc, é preciso respeito! É necessário ver no outro, o irmão em Cristo!Parabéns!
Vc não aparece maisno meu blog!
Passei para convidar vc a ver a minha postagem de hoje, dia 25. Passa lá.
Beijos salpiados de pães de queijo mineiros,
Martha

A Palavra Mágica disse...

Concordo contigo Cezarina,

Justiça só existe no papel, infelizmente, mas aunda acredito que isso vai mudar.

Beijos!
Alcides

www.amsk.org.br disse...

Adelante querida Cezarina, vamos construindo o futuro todos os dias.

devlesa