O CÉU É O MEU TETO,A TERRA É MINHA PÁTRIA,A LIBERDADE É A MINHA RELIGIÃO!

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

ESCOLA GAJÍ X CULTURA CIGANA...ALGUMAS CONSIDERAÇÕES...



TELA DE ENZIE SHAMIRI: GIPSY GIRL.



"Segundo alguns autores, a  única forma de melhorar as condições de vida dos ciganos é dar aos jovens oportunidade de uma formação educacional capaz de permitir-lhes acesso  a uma vida profissional mais plena e que nada fique a dever ao bem estar dos demais membros da sociedade em que estão  inseridos.
Numa época em que os valores morais estão invertidos, em que a família perdeu muito de sua importância , na sociedade gadjê,a Escola tenta suprir a formação do educando.Esta função cada vez mais é delegada pelos pais e familiares das crianças e adolescentes às instituições de ensino,por terem (os pais) que investir um tempo maior no trabalho,ficando,por isso sem condições de educar apropriadamente seus filhos. Trabalhar mais para ganhar mais... Será que vale a pena?
Esta maneira gadjê de educação difere totalmente dos princípios ciganos em relação à família.
Para os ciganos a educação deve ser dada pela família para que a tradição possa ser propagada através das gerações. A escola gadjê rompe o laço familiar e apresenta uma realidade diversa daquela em que vivem as crianças ciganas, modificando o contexto cultural e introduzindo novas maneiras de ver o mundo. Para os ciganos tradicionais, nômades ou sedentários a criança precisa aprender para a vida, para poder dar continuidade as tradições do clã, da raça. Aprender desde cedo a ser esperta,sagaz,inteligente para nunca ser enganada.Saber  ler,contar e escrever .
Mas, nem todos os ciganos pensam da mesma forma,atualmente. Alguns desejam que seus filhos ingressem na escola para subir na vida e ficar em posição de igualdade com os gadjês, tendo melhor acesso às oportunidades. Cursando uma Universidade os jovens ciganos terão condições de se inserir na cultura gadjí para melhor conhecê-la,porém, sem perder de vista sua própria cultura, usufruindo dos benefícios que traz uma formação profissional específica dentro da sociedade dos não-ciganos. Muitos já estão fazendo isso em todo o mundo, inclusive no Brasil. Esta, com certeza, é uma maneira  bastante efetiva  de os jovens da etnia Romani poderem  usufruir  a posição que eles merecem entre os demais . Hoje em dia,  sabemos que aqueles que detêm o conhecimento intelectual têm o poder de realizar, de transformar e de vencer na vida. "

CEZARINA MACEDO.
(TRECHO EXTRAÍDO DE ARTIGO  DA REVISTA  JANELLÁ/2011.)


PaulDeLaBoulaye
TELA DE PAUL DE LA BOULAYE    


nikolai-efimovich-rachkov
TELA DE NIKOLAI E. RACHKOV  


2 comentários:

Martha Marquez disse...

Cezarina, minha linda,
MEUS RESPEITOS A ESSE POVO BRAVO E LUTADOR!
Um beijo em seu coração cigano,
Martha

Leila da Costa Mota disse...

Sou cigana,fiz faculdade e tenho muito orgulho de meu sangue. Oprá Romá!